Nível C2 do QECR (Quadro Europeu Comum de Referência para Línguas)

Niveau C2 du CECR
Apesar do nível C2 ser chamado de Maîtrise, ele não tem a ambição de igualar a competência do locutor nativo ou quase nativo. O objetivo é de caracterizar o grau de precisão, de adequação e de fluência da língua encontrada no discurso daqueles que foram estudantes de alto nível.
 
Os elementos descritivos listados aqui incluem: transmitir as sutilezas de sentido com precisão, utilizando com exatidão razoável uma variedade larga de modalizadores, ter um bom domínio das expressões idiomáticas e familiares acompanhadas da consciência das conotações, voltar atrás e reformular dificuldades de forma que o interlocutor perceba muito pouco.

​Escala global das competências do nível C2 do QECR

A escala global dos níveis comuns de competências do QECR define o usuário do nível C2 capaz das competências idiomáticas seguintes:
 
  • Pode entender sem esforço quase tudo que lê ou ouve.
  • Pode restituir fatos e argumentos de diversas fontes escritas e orais, resumindo de maneira coerente.
  • Pode expressar-se espontaneamente, muito fluentemente e de maneira precisa e pode deixar variações sutis de sentido distintas, em relação a assuntos complexos.

​Grade para a auto-avaliação do nível C2 do QECR

​O QECR descreve o usuário do nível C2 como sendo capaz de cumprir tarefas idiomáticas seguintes:
​​Entender
​​Escutar
​​Eu não tenho dificuldade nenhuma em entender a língua oral, que seja em condições ao vivo nas mídias e quando se fala muito rapidamente, a condição de ter tempo para me familiarizar com um sotaque especial.
​​Entender
​Ler
​​Eu posso ler sem esforço qualquer tipo de texto, mesmo abstrato ou complexo tanto no conteúdo quanto na forma, por exemplo, um manual, um artigo especializado ou uma obra literária.

​Falar

​​Participar a uma conversação
​​Eu posso participar sem esforço a qualquer conversação ou discussão, eu também fico muito a vontade com as expressões idiomáticas e as gírias corriqueiras.
Eu posso expressar-me fluentemente e expressar com precisão variações finas de sentido. Em caso de dificuldade, eu posso voltar atrás e remediar com habilidade para passar despercebido.

​​Falar

​​Expressar-se oralmente e em contínuo
​​Eu posso apresentar uma descrição ou uma argumentação clara e fluente num estilo adaptado ao contexto, construir uma apresentação de maneira lógica e ajudar meu ouvinte a observar e lembrar-se dos pontos importantes.

​Escrever


​​Escrever
​​Eu posso escrever um texto claro, fluente e com estilo adaptado ás circunstâncias.
Eu posso redigir letras, relatórios ou artigos complexos, com uma construção clara permitindo ao leitor de entender e memorizar os pontos importantes.
Eu posso resumir e criticar por escrito uma obra profissional ou uma obra literária.

Aspectos qualitativos do uso da língua falada do nível C2 do QECR


​Abrangência

Mostra uma grande flexibilidade na reformulação das ideias sob formas linguísticas diferentes, permitindo transmitir com precisão variações finas de sentido a fim de insistir, discriminar ou esclarecer ambiguidades.
Possui um bom uso de expressões idiomáticas e familiares.

​​Correção
​​Mantém constantemente um alto grau de correção gramatical numa língua complexa, mesmo quando o foco da atenção não é este (por exemplo, o planejamento ou a observação de reações dos outros).
​​Fluência
​​Pode expressar-se longamente, com espontaneidade num discurso natural, evitando dificuldades ou alcançando-as com habilidade para que o interlocutor quase não perceba.

​​Interação

Pode interagir com fluência e habilidade, levantando e utilizando índices não verbais e intuitivos sem esforço aparente.
Pode intervir na construção da conversação de maneira natural, que seja para as tomadas de palavra, das referências ou alusões, etc.

​​Coerência
​​Pode produzir um discurso sustentado coerente, utilizando de maneira completa e apropriada estruturas organizacionais variadas assim como uma variedade larga de conectores lógicos e outros articuladores.

Atividades de comunicação idiomática e estratégias do nível C2 do QECR

​​Produção oral geral
​​Pode produzir um discurso elaborado, límpido e fluido, com uma estrutura lógica eficiente que ajuda o destinatário a observar os pontos importantes e lembrá-los.
​​Monólogo seguido: descrever a experiência
​​Pode realizar descrições límpidas e corriqueiras, elaboradas e memoráveis.

​​Endereçar-se a um auditório

Pode apresentar um assunto complexo, bem construído, com segurança, para uma plateia pela qual não é familiar, estruturando e adaptando o discurso com flexibilidade para responder ás necessidades dos ouvintes.
Pode produzir um questionamento difícil, até hostil.

​Produção escrita geral​
​​Pode escrever textos elaborados, límpidos e fluidos, num estilo apropriado e eficiente, com uma estrutura lógica que ajuda o destinatário a observar os pontos importantes.

​​Escritura criativa
Pode produzir relatórios, artigos ou ensaios complexos que problematizam, ou dar uma avaliação crítica sobre o manuscrito duma obra literária de maneira límpida e fluida.
Pode propor um plano lógico adaptado e eficiente que ajude o leitor a reencontrar os pontos importantes.


​Ensaios e relatórios
Pode expor por escrito, claramente e de forma bem estruturada, um assunto complexo, destacando os pontos marcantes pertinentes.
Pode expor e provar longamente seu ponto de vista com a ajuda de argumentos secundários, de justificativas e de exemplos pertinentes.

​​Planejamento
​​Pode planejar o que é preciso dizer e os meios de dizê-lo, levando em conta o efeito a ser produzido no(s) destinatário(s).
​​Compensação
​​Pode utilizar perífrases e paráfrases para dissimular lacunas lexicais e estruturais.
​​Controle e correção
​​Pode voltar numa dificuldade e reestruturar seu propósito de maneira tão sutil que o interlocutor pouco perceba.
​​Compreensão oral geral
Pode entender qualquer língua oral, ao vivo ou pelo rádio, qual que seja a velocidade.
​​Entender uma interação entre locutores nativos
​​Pode acompanhar trocas complexas entre parceiros exteriores numa conversa de grupo e um debate, mesmo que for a respeito de assuntos abstratos, complexos e não familiares.
​Entender como ouvinte​
​​Pode acompanhar uma conferência ou uma palestra especializada, utilizando numerosas formas coloquiais, regionalismos ou terminologia não familiar.

​Entender anúncios e instruções orais

Pode extrair detalhes precisos dum anúncio público emitido em condições desfavoráveis e deformada pela sonorização (por exemplo, anúncios públicos numa estação, estádio).
Pode entender informações técnicas complexas, tais como manual de instruções, especificações técnicas para um produto ou serviço que são familiares.

​​Entender programas de rádio e gravações
​​Pode entender uma variedade ampla de material gravado ou rádio, incluído em língua não padronizada, e identificar detalhes finos incluindo o implícito das atitudes e das relações dos interlocutores.


​Compreensão escrita geral

Pode entender e interpretar de maneira crítica quase qualquer forma escrita, incluído textos (literários ou não) abstratos e estruturalmente complexos ou muito ricos em expressões familiares.
Pode entender uma variedade larga de textos longos e complexos, apreciando distinções sutis de estilo assim como o sentido implícito e explicito.

​​Entender a correspondência
​​Pode entender qualquer tipo de corespondência, com a utilização eventual dum dicionário.

​Ler para orientar-se

Pode percorrer rapidamente um texto longo e complexo e destacar os pontos pertinentes.
Pode identificar rapidamente o conteúdo e a pertinência duma informação, dum artigo ou duma reportagem numa variedade grande de temas profissionais a fim de decidir se um estudo mais amplo vale a pena.


​​Ler para informar-se e discutir
​​Pode entender em detalhes uma variedade ampla de textos que podem ser encontrados na vida social, profissional ou universitária, e identificar pontos de detalhes finos, incluído atitudes, independente das opiniões serem expostas ou implícitas.

​Ler instruções

​​Pode entender em detalhes instruções longas e complexas para a utilização duma nova máquina ou procedimento, que sejam ou não em relação a sua área de especialização, a condição de poder reler os trechos difíceis.
​Entender programas de televisão e filmes​
​​Pode acompanhar um filme usando muitas gírias e expressões idiomáticas.
​​Reconhecer dicas e deduzir (oral e escrito)
​​É capaz de utilizar dicas de contexto, gramaticais e lexicais para deduzir uma atitude, um humor, intenções, assim como antecipar o que vem a seguir.


​Interação oral geral

Pode utilizar bem expressões idiomáticas e gírias corriqueiras, com uma consciência do sentido conotativo.
Pode expressar com precisão variações finas de significação, utilizando corretamente uma variedade ampla de modalidades.
Pode voltar numa dificuldade e reestruturar seu propósito de maneira tão sutil que o interlocutor pouco perceba.


​​Entender um locutor nativo

​​Pode entender qualquer locutor nativo, mesmo com assuntos especializados, abstratos ou complexos e fora de sua área, a condição de ter a oportunidade de acostumar-se a um idioma não padronizado ou a algum sotaque.
​​Conversação
​​Pode conversar de maneira confortável e apropriada, sem que nenhum limite linguístico venha impedir a conduta duma vida pessoal e social próspera.
​​Conversa informal (entre amigos)
​Pode acompanhar facilmente trocas entre parceiros exteriores numa conversação de grupo e um debate, assim como participar, mesmo sobre assuntos abstratos, complexos e não familiares.​
​Conversas e reuniões formais​
​Pode defender a sua postura numa discussão formal a respeito de questões complexas, elaborar uma argumentação clara e convincente, da maneira que faria um locutor nativo.​
​​Cooperação de porte funcional (por exemplo, consertar um carro, conversar sobre um documento, organizar algo)
Pode entender com certeza instruções detalhadas.
Pode fazer avançar o trabalho, convidando outros a juntar-se, a dizer o que pensa etc.
Pode discernir claramente nas suas generalidades, uma pergunta ou um problema, fazer especulações sobre as causas e as consequências, e medir as vantagens e desvantagens das diferentes aproximações.




​​Obter bens e serviços

Pode gerenciar de forma linguística uma negociação para achar uma solução a uma situação de conflito tal como uma contravenção não merecida, uma responsabilidade financeira para estragos num apartamento, uma acusação em relação a um acidente.
Pode expor seus motivos para obter uma indenização, utilizando um discurso convincente e definindo claramente os limites das concessões que ele/ela está pronto a fazer.
Pode expor um problema que surgiu e demonstrar que o fornecedor do serviço ou o cliente deve fazer uma concessão.



​Troca de informação

Pode entender e trocar uma informação complexa e opiniões sobre uma variedade larga de temas relativos a seu papel profissional.
Pode transmitir com segurança uma informação detalhada.
Pode descrever claramente e de forma detalhada um procedimento.
Pode fazer a síntese de informações e de argumentos provenientes de fontes diferentes e prestar contas.

​​Entrevistar e ser entrevistado (a entrevista)
​Pode cumprir seu papel no diálogo muito bem, estruturando o discurso e trocando com autoridade e fluência completa, seja em situações de entrevistador ou entrevistado, da mesma maneira do que um locutor nativo.​
​​Interação escrita geral
​​Pode expressar-se com clareza e precisão, adaptando-se ao destinatário com flexibilidade e eficiência.
​Correspondência​
​​Pode expressar-se com clareza e precisão na sua corespondência pessoal, utilizando um idioma flexível e eficiente, incluído num registro afetivo, alusivo ou humorístico.

​Notas, mensagens e formulários

Pode anotar uma mensagem relativa a um pedido de informação, a explicação dum problema.
Pode deixar notas que transmitem uma informação simples e imediatamente pertinente para amigos, empregados, professores ou outras pessoas frequentadas na vida cotidiana, comunicando de maneira compreensível os pontos que parecem importantes.


​​Tomada de palavra

​Pode escolher uma expressão apropriada num repertório comum de funções discursivas, introduzindo a sua palestra, para obter ou tomar a palavra ou para ganhar tempo enquanto raciocina.​
​​Cooperar
​Pode ligar a sua contribuição aquela de outros interlocutores.
​​Solicitar esclarecimentos
​​Pode fazer perguntas para conferir que ele/ela entendeu o que o locutor queria dizer e esclarecer os pontos equívocos.
​Anotar (conferências, seminários, etc.)
​​Tem consciência do implícito e subentendido no que é falado e pode considerá-lo tão bem quanto o discurso explicito do locutor.
​​Tratar um texto
​​Pode resumir informações provenientes de fontes diversas, recompondo os argumentos e os relatórios numa apresentação coerente do resultado geral.

Competências comunicativas idiomáticas do nível C2 do CECR

​​Área linguística geral
Pode explorar o domínio amplo e confiável duma variedade de discurso para formular com precisão seu pensamento, insistir, discriminar e tirar as ambiguidades. Não mostra nenhum sinal de ter que reduzir o que quer dizer.
​​Área de vocabulário
Possui um bom uso dum repertório lexical amplo de expressões idiomáticas e corriqueiras com a consciência do nível de conotação semântica.
​Uso de vocabulário​
Utilização constante correta e apropriada do vocabulário.
​Correção gramatical​
​Pode manter constantemente um alto grau de correção gramatical mesmo quando o foco da atenção não é este (por exemplo, o planejamento ou a observação de reações dos outros).​
​Uso do sistema fonológico​
Pode variar a entonação e colocar acento da frase corretamente a fim de expressar tons finos de sentido.
​​Uso da ortografia
​​As produções escritas são realizadas sem erro ortográfico.

​​Correção sociolinguística
Mostra um bom domínio das expressões idiomáticas e de dialetos, com a consciência dos níveis conotativos de sentido.
Aprecia completamente as implicações sociolinguísticas e socioculturais da língua utilizada pelos locutores nativos e pode reagir em consequência.
Pode cumprir eficientemente o papel de mediação entre locutores de língua-alvo e daquela da sua comunidade de origem, levando em conta as diferenças socioculturais e sociolinguísticas.

​​Flexibilidade
Mostra uma grande flexibilidade na reformulação de ideias, apresentado sob formas linguísticas variadas para acentuar a importância, marcar uma diferença de acordo com a situação ou o interlocutor, ou esclarecer uma ambiguidade.
​​Tomada de palavra
​​Pode utilizar uma expressão adequada num conjunto disponível de funções discursivas para introduzir seu discurso, chamando a atenção da audiência ou para ganhar tempo e manter a atenção da plateia enquanto raciocina.
​Desenvolvimento temático​
​​Pode realizar descrições e narrações complicadas, com temas secundários e alguns mais detalhados, e chegar a uma conclusão adequada.
​​Coerência e coesão
Pode produzir um discurso sustentado coerente, utilizando de maneira completa e apropriada estruturas organizacionais adequadas assim como uma variedade larga de articuladores.
​Fluência oral
​​Pode expressar-se longamente num discurso natural e sem esforço. Para somente para refletir á palavra justa que vai expressar exatamente seu pensamento ou para encontrar um exemplo apropriado que ilustre a explicação.

​Precisão

Pode expressar com precisão variações de sentido finas, utilizando com uma correção suficiente uma variedade ampla de procedimentos de padronização (por exemplo, advérbios expressando o grau de intensidade, propostas restritivas).
Pode insistir discriminar e esclarecer a ambiguidade.

O nível C2 do QECR serviu de base a concepção das provas do DALF C2.

​​